Coronel agradece indicação e diz que, se eleito, será um guerreiro na defesa da Bahia no Senado.

Presidente da Alba destaca como bandeiras de luta o financiamento do SUS, revisão do Pacto Federativo, a segurança pública e o respeito à CF-88.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Angelo Coronel (PSD), agradeceu ao governador Rui Costa (PT) e ao presidente estadual de seu partido, senador Otto Alencar, pela escolha de seu nome para compor a chapa majoritária que tentará reeleger o atual chefe do Palácio de Ondina a um novo mandato no pleito de outubro.
Governador confirmou apenas os titulares da chapa majoritária, postergando a definição dos suplentes às duas vagas ao Senado Federal. O vice-governador João Leão (PP) é pré-candidato ao mesmo cargo, e o ex-governador Jacques Wagner é pré-candidato à outra vaga do Senado. Definição ocorreu na tarde desta segunda-feira (25), no Palácio de Ondina, em reunião discreta e restrita aos presidentes das agremiações partidárias da base de apoio e integrantes do seu Conselho Político.
“Além do governador Rui e do senador Otto Alencar, também sou muito grato ao meu partido, ao PT e aos dirigentes e militantes de todas as legendas que compõem a base do Governo da Bahia. Em Brasília, se eleito for, serei um guerreiro na defesa dos interesses do Estado e dos baianos. Buscarei fazer um mandato inteiramente afinado com a bancada baiana e à altura do governo Rui Costa, um dos melhores do país”, comentou, o presidente da Alba. Ele também agradeceu a todos os seus pares do Legislativo estadual, que também contribuíram com o belo trabalho da Alba em 2017 e até o momento.
Angelo Coronel tem destacado, em seus discursos, que se for do desejo dos baianos, levará para a Câmara Alta três bandeiras de luta em favor do Brasil e que muito têm o incomodado. Buscará abrir um debate nacional acerca do fortalecimento do Sistema Único de Saúde, como forma de mitigar o sofrimento da população que só conta com o atendimento médico público. Coronel defende algo em torno de 11% a 12% do Produto Interno Bruto do país (PIB) para financiar o SUS.
Como representante do municipalismo baiano e ex-prefeito, o presidente da Assembleia Legislativa deseja rediscutir o Pacto Federativo. “Não dá mais para que os prefeitos só tenham as obrigações, enquanto continuam sem recursos para atender quem primeiro lhes bate à porta. Essa discussão é inadiável, defende”.
Outra bandeira de Angelo Coronel diz respeito à segurança pública. Ele quer atacar o problema das drogas e das armas na nascente, fortalecendo o policiamento de fronteiras, para evitar a entrada no país. “Ao invés de caçar o consumidor, a segurança pública tem que se voltar para o grande fornecedor de drogas e armas”, explica.
Também tem tirado o sono do presidente do Legislativo baiano o desrespeito à Constituição Federal e a extrapolação de papéis do Poder Judiciário e do Ministério Público. “Não dá para passar o Brasil a limpo em um sistema judiciário que acusa, processa e condena conforme a visão de mundo dos juízes, segundo simpatias ou antipatias”, observa, o pré-candidato ao Senado Angelo Coronel.